terça-feira, 9 de novembro de 2010

Infância perdida

O corriqueiro provérbio de que o pior cego é o que não quer ver se aplica perfeitamente na análise sobre o atual estágio da exploração do trabalho infantil no Brasil.

Embora venha diminuindo, o número de crianças submetidas a esse trabalho pesado e desgastante ainda é considerável. Milhares dessas crianças perdem a infância e os estudos, por muitas vezes não terem o que comer. Deixam para trás as brincadeiras e se integram nessa grande massa de trabalhadores que a cada dia perdem sua dignidade e seu valor moral.

Tal exploração é feita por pessoas que se aproveitam da difícil situação econômica da família,que por sua vez, não vê escolhas ,sendo esse,seu único modo de sobrevivência.Enquanto isso,nossos governantes permanecem de olhos tapados para essa grave situação e tratam o problema com absoluto descaso.

Desta forma, medidas sócio-governamentais deveriam ser tomadas a fim de se combater esse grave problema, pois desconhecer ou ignorar estes fatos, e supor que eles não terão conseqüências profundas no futuro é simplesmente temerário (imprudente).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário