quarta-feira, 21 de novembro de 2018

A (DES)necessária Reforma da Previdência


Começo esse post com o seguinte bordão “O povo não é bobo, abaixo a Rede Globo”, de forma a enfatizar que 61% dos brasileiros acham a Reforma DESnecessária. Muito se discute sobre uma suposta “urgência” da votação da PEC 287/16, no entanto, é cada vez mais notório que NÃO há déficit da Previdência, o que há é má administração e desvio de Recursos Públicos. 

A Reforma proposta por Temer NÃO mexe com o Judiciário, os Deputados, os Senadores, os Ministros e os Militares, no entanto MEXE com os trabalhadores rurais, os servidores públicos e os segurados do INSS, ou seja, os verdadeiros privilegiados estarão de fora. Entende agora o porquê desse desespero em votar rapidamente essa Reforma ? Antes que o povo se dê conta e corra atrás do prejuízo. 

Será mesmo necessária essa tal Reforma ? Vamos a alguns dados:

  •       Valor pago pelo trabalho:  4500,00 (Brasil) x 4500,00 (Mundo)
  •       Média de Encargos Trabalhistas:  57% (Brasil) x 22% (Mundo)
  •       Salário Líquido:  1935,00 (Brasil) x 3510,00 (Mundo)
  •       Média de Carga Tributária:  43% (Brasil) x 17% (Mundo)
  •       Poder REAL de Compra:  1102,00 (Brasil) x 2913,00 (Mundo)

Parafraseando o professor de Geografia Política, Dinaldo, que tive o prazer de conhecer no curso Miguel Couto:  “Tá sentindo ??? Tá sentindo o cheiro de M ??” Não é bem a previdência que precisa ser reformada... 

Assim como o Bolsonaro, não entendo TUDO de Economia, mas entendo que se parar de roubar sobra dinheiro.  De modo análogo à forma como o Governo faz cagada atrás de cagada e depois bota na conta do povo (através do aumento de impostos), vem sem sendo feito em relação a essa Reforma:  nos últimos 10 (dez) anos, o Brasil perdoou R$ 176 bilhões em juros e multas de dívidas tributárias. 

Segundo levantamento feito pela Receita Federal, os devedores foram beneficiados por meio de 9 (nove) programas de parcelamento de débitos com o Fisco nesse período. O valor é praticamente o mesmo do rombo nas contas da Previdência no ano passado. Em troca, o governo recebe uma parcela da dívida adiantada, mas abre mão de uma parcela do que ganharia com juros e multas.
 
Em 3 meses, o governo de Michel Temer garantiu o perdão da dívida de aproximadamente R$ 30 bilhões do Bradesco, Itaú e Santander. Assim é fácil falar em “rombo da previdência”, um viva à hipocrisia !!! Para se ter uma ideia, SÓ com o perdão da dívida do Itaú e do Santander daria para manter o Museu Nacional por 49 mil anos, isso mesmo, 49 mil !!! Entenda:  NÃO há crise, há projeto (ou melhor, a FALTA de um...) !!!
 
Além disso, a Reforma da Previdência ignora 426 bilhões devidos por empresas ao INSS. Sem falar nos privilégios e benefícios concedidos a políticos e juízes (Roseana Sarney, por exemplo, recebe aposentadoria vitalícia de 48 mil e possui à sua disposição 5 funcionários e 1 carro. É mole ou quer mais ??). 

O fim da picada ocorreu recentemente:  na surdina, o Senado Federal aprovou o reajuste de salário de ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) de R$ 33,7 mil para R$ 39,3 mil. A Medida gera um efeito cascata que pode causar impacto de R$ 4 bilhões, segundo consultorias. (Olha aí a “urgência” da Reforma da Previdência... reduzir regalias e privilégios, que é bom, NADA. É mais fácil cortar os direitos do trabalhador). Depois querem que eu engula uma suposta "necessidade" de Reforma da Previdência... a Reforma tem que ser P-O-L-Í-T-I-C-A !!!

Por fim, quero terminar mostrando 10 verdades sobre a Reforma da Previdência que o Governo, obviamente, NÃO te conta:
  1. O valor das novas aposentadorias vai diminuir, pois o cálculo vai considerar TODAS as contribuições e NÃO mais as 80% maiores
  2. Aumento de 15 para 25 anos o tempo de contribuição para receber apenas uma parte da aposentadoria, excluindo 79% dos trabalhadores
  3. Para ter direito ao valor integral da sua aposentadoria, será necessário comprovar 40 anos de contribuição
  4. Concede aposentadoria integral por invalidez apenas em caso de acidente de trabalho, sem proteção aos infortúnios da vida
  5. Servidores Públicos sofrerão nova mudança de regime, quem está perto de se aposentar pode ter que trabalhar mais 11 (onze) anos, por exemplo
  6. O Trabalhador Rural deve comprovar 15 anos de contribuição, e NÃO mais 15 anos de atividade, para receber a aposentadoria
  7. Limita em até 2 (dois) salários mínimos o acúmulo de pensão e aposentadoria. Uma família com orçamento de R$ 6 mil pode ter que passar a conviver com apenas R$ 2 mil emcaso de morte de um dos cônjuges
  8. Sobe de 65 para 68 anos a idade para a solicitação do Benefício de Prestação Continuada (BPC), destinado a pessoas que vivem na miséria
  9. Aumenta o tempo de contribuição para professores e exige idade mínima
  10. O regime de Previdência Complementar do servidor público poderá ser gerido por bancos e seguradoras, e é exatamente isso que o Governo quer...
Já está mais do que provado, praticamente na cara, que a Previdência NÃO é deficitária. O problema é de Gestão. A Verdadeira Reforma da Previdência passa, obrigatoriamente, pelo fim dos privilégios (aposentadorias e pensões exorbitantes) políticos, dos desvios de recursos e dos perdões a dívidas tributárias. Isso SIM é justiça.

domingo, 3 de setembro de 2017

Momento Desabafo


Vergonha ALHEIA em relação ao nosso TOSCO e ARCAICO sistema Judiciário. Infelizmente a tônica tem sido essa: 5 anos na faculdade de Direito, aprovação em concurso megaconcorrido (ou, em muitos casos, indicação política) e a sonhada LEGITIMIDADE. A partir daí, começa o problema: adquire-se a "permissão" para fazer M atrás de M, sem ser questionado, pois "tem autoridade para tal". É uma relação DIRETAMENTE proporcional: quanto mais graduações, especializações, MAIOR a tal legitimidade. 

O fato é que a Ciência Jurídica não é uma Ciência Exata, não é simplesmente "decorar leis", é mais do que isso. É sobretudo uma ciência de natureza INTERPRETATIVA e esse vem sendo o grande problema: a FALTA de SENSIBILIDADE na aplicação das leis. NÃO adianta ter exímio e amplo conhecimento se NÃO souber o que fazer com ele. Chegam a ser PATÉTICAS, vergonhosas, algumas decisões tomadas. A impressão é que esses "seres supremos", "inalcançáveis", se formaram em um supermercado, não é possível !!! 

O pior de tudo é ter que ouvir ou ler, como mecanismo de defesa: "Você quer saber mais que um Juiz, que estudou 5 anos para isso ? Quem é você para contestar uma decisão do Juiz ?" Respondendo às perguntas: SIM, enquanto NÃO houver discernimento, bom senso e hombridade na aplicação das leis, eu "QUERO SABER MAIS QUE UM JUIZ QUE 'ESTUDOU' 5 ANOS..." e, infelizmente, NAO aprendeu NADA. "QUEM SOU EU...": um cidadão comum, consciente da sua relação direitos e deveres e que NÃO precisa, necessariamente, ser formado, pós-graduado e especializado em Direito para apontar EQUÍVOCOS, de avaliação e julgamento BÁSICOS, em temas de natureza predominantemente HUMANA, cotidiana. 

Por favor, PAREM !!! ...tá ficando feio...

quinta-feira, 20 de abril de 2017

É possível viver sem ARTE ?

A resposta a essa pergunta é não, não podemos viver sem arte. Podemos talvez viver sem consciência da arte. A arte proporciona a leitura do mundo pelas emoções, sem arte os sentimentos perderiam seu sentido e a vida um saco vazio.
Eu não viveria sem arte porque … as cores não seriam vistas; as musicas não seriam ouvidas; o barro não seria transformado e nem tampouco o papel; a tela continuaria em branco, sem história pra contar, para imaginar, para sentir, para viver; a linha seria sempre reta, sem o bordado da costureira;  o lixo seria maior sem a reciclagem;  a valsa não seria dançada por que sem arte ficaríamos sem cores, sem som e possivelmente sem transformação.
O Ser Humano se torna imortal pela Arte: Beethoven, Mozart, Elvis, Sinatra, Camões, Fernando Pessoa, Carlos Drumond de Andrade, Picasso, Van Gogh, Chagal, Miró, Portinari, Shakespeare, Le Corbusier, Rodin, Aleijadinho, etc. estão mais vivos hoje do que antes de sua morte.
Portanto, a arte é o exercício dos nossos sentidos, existe para ser sentida e não julgada. Viver sem arte é como viver sem sentimentos. Já experimentou ficar sem ar? Arte é o ar que respiramos e sem ele o ser humano deixa de viver.

sábado, 1 de abril de 2017

Cloud Computing: impedimentos existentes e atraso no Brasil


No Brasil, os CIOs ainda enxergam a computação na nuvem como 'perigo imediato' e tentam manter o seu uso na 'periferia' dos seus investimentos. O país está defasado em relação a outros da América Latina e esse 'atraso' acontece em função dos CIOs terem 'medo' de enfrentar o novo na área de TI.

O Brasil é o antepenúltimo colocado no ranking de computação em nuvem mundial, segundo estudo da BSA – The Software Alliance. Somos o 22º de uma lista de 24 países liderada por Japão, Estados Unidos e Alemanha.

43 % das empresas brasileiras não mostraram intenção de adotar a computação em nuvem, mesmo com tantas facilidades. O principal impedimento apontado pelos pesquisados é de que não se sentem seguros para migrar, principalmente por conta da segurança dos dados.

Por causa de regulamentações complexas, necessidades de controles financeiros e de uma governança corporativa integrada com a de TI, as empresas possuem sempre extrema cautela na adoção de novas tecnologias.

Mesmo nosso país tendo o perfeito entendimento de que inovação em tecnologia é um diferencial competitivo e um grande fator para o crescimento econômico, ainda falta uma legislação bem definida para regulamentação de itens como, por exemplo, pirataria.

O que também muitas empresas enxergam no Brasil é que soluções em cloud são mais voltadas para ISPs, ledo engano. Bons exemplos disso são os caso da Bloomberg e do Black Friday, não importa quantos acessos ao site da empresa tenha, se precisar de mais escalabilidade a nuvem vai identificar isso automaticamente, dando mais recursos para a aplicação.

Portanto, vale a pena ficar de olho neste mercado, atentar para suas peculiaridades e criar ofertas atrativas. Trata-se de um nicho exponencial no Brasil, em deliberada ascensão, ao qual os fornecedores têm tudo para se lançar.

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

A contribuição da Engenharia de Produção na Gestão Sustentável empresarial


Uma empresa com gestão sustentável é aquela que adota atitudes éticas e práticas que visem seu crescimento econômico (sem agredir o meio ambiente), além de colaborar para o desenvolvimento da sociedade.
São exemplos de práticas sustentáveis empresariais: o uso racional da água e da energia elétrica, a reciclagem do lixo sólido, a criação de projetos educacionais voltados para a preservação do meio ambiente, o respeito total às leis ambientais do país, o uso, quando possível, de fontes de energia limpa e renovável nos processos de produção, o respeito às leis trabalhistas do país, garantindo todos os direitos dos trabalhadores, o uso de práticas de produção que garantam a total segurança dos funcionários no ambiente de trabalho etc.
A importância dessas práticas reside no entendimento que a sustentabilidade no mundo empresarial passou a ser requisito de sobrevivência para as empresas e o próprio planeta. Além de respeitar o meio ambiente, possuem a capacidade de mudar, de forma positiva, a imagem de uma empresa junto aos consumidores.
O perfil dos consumidores passou por grandes mudanças nos últimos anos. Nesse contexto, para conseguir um espaço no mercado e respeito dos clientes, as instituições precisam incorporar novas práticas de gestão de recursos (sejam elas materiais, produtivos ou humanos).